fbpx

Da série, poemas mas, 21

Setembro 6, 2019 poemas mas

  A colecção

Tenho em mim todas estas caixas,

e nelas guardo as minhas pequenas prisões.

Não escolhi nenhuma.

Não comprei nenhuma.

Todas me foram oferecidas ao longo dos primeiros anos de mim.

Devo-lhes muito, devo-lhes tanto, se soubessem…

As caixas, essas

diferentes nos materiais, formas e utilidades.

Todas à medida dos seus conteúdos,

umas feitas por encomenda,

outras adaptadas à circunstância.

Guardo-as no cimo de um armário alto e magro que tenho lá em casa,

nas gavetas de cima, as que têm chave,

agrupadas pelos critérios cronológicos e de importância moral.

E revisito-as, quando menos espero,

normalmente assim que saio das fronteiras que trago.