fbpx

Da série, canções vegetais, 19

Agosto 27, 2019 Canções vegetais

Suspendo o ar que respiro,

guardo-o para depois.

Valer-me-á mais tarde,

não sei bem ao certo quando.

Suspendo o ar que respiro,

amarro-o a nós manuais,

e a um pote mineral,

onde se manterá para mim.

Suspendo o ar que respiro,

guardo-o para depois,

valer-me-á mais tarde,

ao devolver-me a frescura ao olhar.