fbpx

Da série, poemas mas, 7

Fevereiro 7, 2019 poemas mas



Espaços em branco

São doces os espaços em branco,

por nada esperam que os tire dali.

São doces os espaços em branco,

provei a amargura da sua ausência,

e não mais a repeti.

São doces os espaços em branco.

Repetiria a intensidade e a cadência,

não mais a sua simples eminência.

São doces os espaços em branco.

igualaria a monomania,

não mais a escassez de sintonia.

São doces os espaços em branco.

Aceitaria até a sua longura,

não mais a sua boçal figura.

São doces os espaços em branco,

por nada esperam que os tire dali.